quinta-feira, 12 de março de 2009

E Continua Seco.


















Com a lata na cabeça, lá vai Maria,
a terra seca nunca brota flores,
segue o seco na labuta dos dias,
não sente o peso muito menos dores.

O corpo que ao peso da lata resiste,
a lata que somente segura a água,
o sertanejo que teimoso insiste,
a chuva que é tão esperada nada.

Não é pataquada estive lá e vi,
eu me entristeci e por eles reclamei,
pela fé eles não sentem o que senti,
os culpados na minha mente, xinguei.

A pele enrugada, a força está no coração,
vivendo do jeito que dá, com o que se tem,
povo que sobrevive a vida dura do sertão,
o que um comer o outro come também.

Criado em São Paulo não sei se resistiria,
só o sol, terra seca e gente hospitaleira
com muito prazer voltarei algum dia,
talvez esta seja a Bahia verdadeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário