sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Insônia.











Por mais que eu não queira
acompanha-me por longas horas
me segura de tal maneira
e não me deixa ir embora.

Como na contramão
tento desviar e bato de frente
aproveita-se da minha solidão
e fico acordado e descontente.

Nem copo d`agua
nem uma ida ao banheiro
viro-me, mas não me larga
mas resisto porque sou guerreiro.

O sol raiando na janela
penso venci a insônia
quando vejo um rosto é ela
me olhando de forma risonha.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Natureza













Teimosa e sabia

assim é a mãe natureza

sempre se faz presente

com resistência

e a demonstração

de sua beleza.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Íris.















Uma Grande ave,
Íbis.
Borboleta diurna,
Íris.
Após a chuva,
Arco-íris.
Para sonhar,
Amores.
Rituais tribais,
Tambores.
Para encantar,
Flores,
Numa noite linda,
Luar,
Uma serenata,
Cantar,
Timidez não deixa,
Falar,
Balada romântica,
Coladinho,
Coisa mais linda,
Bebezinho,
Naquela praça,
Banquinho,
Crianças brincando,
Futuro,
Os pais ao lado,
Seguro,
Depois do banho,
Durmo,
Um bom convívio,
Simplicidade,
O que estraga,
Vaidade,
Pra se dar bem,
Amizade,
O melhor é não,
Sofrer,
Bom pra viajar é,
Ler,
O altruísmo é para,
Viver.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Universo em Crise.









Cada favelado é um

universo em crise

nas periferias

diferentes cicatrizes

que não se apagam

propagam o ódio aumenta

isso por aqui

só vai gerar mais desavenças

hemorragia interna

ninguém pensa

sangue escorre

é mãe que chora

socorreu mais não adiantou

ele entrou em óbito

quando no PS chegou

seu doutor faça o que for

clamou sua mãe

que no rapaz

seu amor depositou

essa é mais uma história

que não tem como recomeçar

nem reescrever

de uma pobre senhora

que viu seu filho

ao vivo padecer

por quê? por quem?

o que falta por aqui

é a prática do bem

pode começar prestar atenção

você também

seu final pode ser

no presídio no cemitério

ou na fundação casa

antiga FEBEM

o inimigo só precisa de uma brecha

pra te ver jogado, caído,

desarraigado, sucumbido

o Haiti não é aqui

mais de que importa o nome

pois se lá, como cá, o que impera

é a maldade do homem

e se desacredita vem aqui pra ver

um dia bom, mil ruins,

o que fazer para sobreviver

se assim a nossa vida pode crer.