terça-feira, 30 de março de 2010

Para te presentear.











Amor
o que sinto por você
é tão imenso 
que não consigo dizer 
e a vontade 
é tão grande de falar
quando te vejo
não consigo explicar 
estando perto 
é tão grande a emoção
e quando longe 
sinto-me na solidão
o sol e a lua 
pra você eu vou buscar
e esses versos
para te presenterar.

domingo, 28 de março de 2010

Um Sarau Emocionante










Emocionante é a palavra que melhor descreve o que aconteceu na tarde de sábado (20 de março de 2010). Várias gerações se reuniram para declamar suas criações poéticas, desde a pequena Aninha, 10 anos, até o pai de família, e aluno do EJA da EMEF do CEU, o Sr. Luis Carlos.

O Sarau
aconteceu como resultado do I Concurso de Poesia do CEU Azul da Cor do Mar. Tivemos 35 poesias inscritas, por alunos e pessoas da comunidade, em apenas 09 dias de inscrições abertas.

Um delicioso Café da Tarde e a presença dos familiares e amigos foi o ambiente perfeito para que os nossos poetas compartilhassem o gosto por essa arte literária.


poesias campeãs no blog da biblioteca do CEU. 
http://biblioazuldacordomar.blogspot.com

quinta-feira, 25 de março de 2010

É amanhã!


















Apresentando, Familia 2000 Grau,
Função Poética, G.D.O.N.

domingo, 21 de março de 2010

Será que é isso mesmo!?













Sempre ouvi dizer que a corda sempre arrebenta do lado mais fraco, e que o chicote sempre estala no lado mais fraco. Más será que é assim mesmo?
Porque eu paro pensando por outro lado vejo que não é bem assim .
Um “pobre” acostumado a não ter quase nada quando consegue algo, geralmente se empenha pra não perder, más se perde ele algumas vezes se desespera e tal.
Más de um jeito ou de outro na pior das hipóteses, ele simplesmente terá que voltar a ter o que ele sempre teve que é o básico. Então o pensamento volta-se da seguinte forma:
Poxa como foi bom quando eu podia fazer isso, e como e foi bom ter aquilo, mas agora voltei à estaca “zero”. Más o jeito é batalhar pra um dia quem sabe ter tudo outra vez.
Esse aos olhos de muito causará a seguinte reação: Poxa fulano se deu mal mesmo, más a corda sempre arrebenta no lado mais fraco, mesmo.
Esses, cujos, os pensamentos são padrões, estão vendo de uma só maneira ás coisas, como lhes foram passadas.
Más se pararmos para analisar de uma outra maneira, que também é comum aos que fazem um esforço não muito forçado de pensar. Pois é pra isso que DEUS, nos deu o raciocínio, para pensarmos, medirmos e pesarmos tudo o que está e acontece a nossa volta.
Então vamos “pegar” um “rico” como exemplo, vimos que um “pobre” da queda, se levantou e voltou para onde ela saiu, e não foi tão dura à queda, pois ele já sabe com o que vai lidar e como deve lidar...
Já o “rico” ele sempre foi acostumado a ter tudo ao seu redor, de nada sentir falta e tal.
Esse se cair e de repente olhar para o lado e ver que está desamparado, sem luxo, nem escolha, tendo que se virar com um salário mínimo, é sem condições. Aí ele já começa a se entregar ao alcoolismo, drogas, tentando de uma maneira frustrada fugir da realidade, em alguns casos mulheres acostumadas a terem tudo e se deparando com o fato de perder isso, passam a se prostituir para manter alguns requisitos que ela considera necessário. Ou então a depressão entra em cena e acaba com a vida dessas pessoas.
Por isso eu me pergunto será que a corda sempre arrebente do lado mais fraco mesmo?
Será que o “Chicote” sempre estala do lado mais fraco mesmo?
Eu acredito que DEUS, dá a cada um a carga que cada um pode carregar.
E se pensarmos por um outro lado, o lado que não é imposto aos nossos pensamentos veremos que nem tudo é do modo que nos passam.

segunda-feira, 15 de março de 2010

quinta-feira, 11 de março de 2010

Liberte o poeta que existe dendro de você!



 



















Você adora poesias? Vem à biblioteca para ler poemas famosos? As pessoas vivem dizendo que você anda inspirado quando fala alguma coisa com sentido? E por fim, escreve versos, mas nunca teve coragem de mostrar para ninguém? Então, essa é a hora de libertar o poeta que existe dentro de você e de quebra poderá ser premiado com alguns livros. Como? Participando do 1º Concurso de Poesia do CEU Azul da Cor do Mar. Os vencedores serão revelados no Sarau Poético a se realizar no dia 20 de Março de 2010, às 15h.


REGULAMENTO 1º CONCURSO DE POESIAS CEU AZUL

I – Da seleção



Coletar junto, aos alunos de todas as séries do CEU, textos poéticos produzidos pelos mesmos, assim como membros da Comunidade;
Os textos devem ser entregues em duas vias com identificação do autor e série; Todos os textos devem conter um título; Os textos podem ser em forma de verso ou em prosa poética.

II – Da apresentação e publicação



Os textos selecionados serão apresentados em Sarau que será realizado na Biblioteca, no dia 20 de Março de 2010, às 15h;
A fala dos poemas pode ser feita pelo aluno que compôs o poema ou por alguém indicado pelo mesmo; Os textos não podem ultrapassar uma folha; Os textos selecionados poderão ser publicados em forma de livro; Os autores cedem graciosamente à equipe organizadora os direitos autorais sobre o texto inscrito no concurso; Textos que tenham autoria sob suspeita serão eliminados do concurso;

III – Dos prazos e etapas



Inscrições: de 10 de março de 2010 a 18 de março de 2010;
Local de Entrega: Biblioteca CEU Azul da Cor do Mar; Seleção; Resultado/classificação: 20 de março Apresentação do Sarau.

IV – Da premiação

Primeiro colocado: livros
Segundo colocado: livros
Terceiro colocado: livros

segunda-feira, 8 de março de 2010

Oito de Março








Muitas sofreram
e mais ainda sofrerão,
mas a luta dessas guerreiras
nunca será em vão.
 
conseguindo seu espaço
no mundo cruel e machista,
apesar dos percalços
seguem sempre pacifistas.

o nome cravado em glorias
não são lendas, mitos,
ou simplesmente histórias

um beijo e um forte abraço
é o mínimo que posso fazer
em mais um oito de março.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Sem voz e sem paz.











Em um reduto de concreto e aço,
as portas fechadas olhando tudo.
em pouco espaço sobrevivendo,
por mim conservado e não imundo.
próximo muito próximo,
porém ainda não no fundo.
vivendo as margens da sociedade,
denominados de submundo.
pré-julgados sem direito a defesa,
mas procuro solução.
o estranho é o que estão soltos,
causando rebelião.
o que mais causa estranheza,
é rebelar-se em prol de nada.
sem voz, sem paz,
não podendo sentar na calçada.
infelizmente é verdade,
porques sem resposta no mundão.
iguais existem vários na mesma situação.
vivendo sem ter atitude,
olhando tudo do vão do portão.