segunda-feira, 1 de março de 2010

Sem voz e sem paz.











Em um reduto de concreto e aço,
as portas fechadas olhando tudo.
em pouco espaço sobrevivendo,
por mim conservado e não imundo.
próximo muito próximo,
porém ainda não no fundo.
vivendo as margens da sociedade,
denominados de submundo.
pré-julgados sem direito a defesa,
mas procuro solução.
o estranho é o que estão soltos,
causando rebelião.
o que mais causa estranheza,
é rebelar-se em prol de nada.
sem voz, sem paz,
não podendo sentar na calçada.
infelizmente é verdade,
porques sem resposta no mundão.
iguais existem vários na mesma situação.
vivendo sem ter atitude,
olhando tudo do vão do portão.

2 comentários:

  1. Gostei muito do seu blog e gostaria que você fosse conhecer o meu: www.odeliriodabruxa.blogspot.com
    Beijos
    Denise

    ResponderExcluir
  2. parabens pelo trabalho .. vou deixa o meu pra vc dar uma olhada .
    na duvida pode ligar

    http://www.motorportao.org/
    (11) 2983-0911

    ResponderExcluir