sábado, 28 de agosto de 2010

O inferno















O inferno está em guerra

Pra ver quem dita as regras

Ilmas, Inas ou Erras.


Carta branca direito a tudo

Acuando e tornando

Cada vez mais o povo mudo


Um dia desses quase acreditei

Sem chifres e tridente e dizendo eu farei

Falam diferente do jeito que nem sei


Tentei aprender, mas já desisti

Eu não tenho esse talento para

Falar bonito e estar sempre a sorrir


A.E Carvalho inundou

Teve morte, choros e perdas

Outro verão chegou e nada mudou


Ninguém veio prestar assistência

Veio a policia causando mais desavença

mas ninguém fez boletim de ocorrência


Os moradores tratados como militantes

E eles não marcaram presença no local

Mas mandaram os seus representantes


Já não acredito neles há muitos anos

Desde o cara da rota na rua

Porque a verdade é deles e a mentira é sua


Política virou partido futebolístico

De torcedor de final de campeonato

Ou aqueles que só torcem em clássico


Pra dizer que não escolhi errado

Daqui a quatro anos nem sei em quem votei

Naquele mentiroso que prometeu comida no prato


Defendemos eles como se fossem dos nossos

Quem sabe façam alguma coisa pra nos

Quando de nos só restarem os ossos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário