terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Na Cadeia "O Traficante"












Lá dentro muita dor e agonia
 sem saber o que fazer só rezar todos os dias
os espíritos dos mortos vivos que eu conduzi
 pela das drogas que a eles eu vendi
 já nem sei o que fazer ouço vozes e múrmuros
 vejo a vida passando através de grades e muros
 desespero sinto falta dos parentes
 recebi até uma foto que o bebê já tem dois dentes
 fico só imaginando se eu fosse trabalhador
 e ajudasse minha mulher indo ao mercado "moro"
 nos finais de semana indo a feira
 quem sabe assim alegria fosse verdadeira
 diferente daquela com champanhe e ouro no braço
 com uma maquina invocada e uma princesa do lado
 mas não o que eu tinha não me serviu
olha onde eu vim parar mano "a casa caiu"
 eu pagava de cão do bom só na minha mão
 tantas vidas transformadas e eu agora na prisão
 sou um nada, cadê os meus manos a rapaziada
 o que vai ser transformada vai ser a vida da minha família,
 pois quando sair daqui como estará a minha filha
 será que ela vai me reconhecer
e se isso mano nunca mais acontecer
 má escolha um mau resultado
 não me sinto vivo me sinto enterrado
 esquecido e abandonado
 só me resta chorar esse é o resultado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário