segunda-feira, 11 de abril de 2011

Me Entristece.













Continuamos a regar as flores
Com sangue pólvora e chumbo
Acredito que sejam as piores dores
Causada para uma mãe no mundo.

Pense no impacto causado
Acostumada a vê-las brincando
E um corpo pequeno sendo velado
E uma mulher chorando.

Só elas para serem irresponsáveis
Ao ponto de nos deixar sem jeito
Fazendo-nos perguntas não palpáveis
Chegando a faltar ar em nosso peito.

Como não gostar de criança
Entre todas as maravilhas
É o maior sinal de esperança.

Choram sem medo e não se envergonham
Com uma simples promessa
Fecham os olhos e sonham.

Como soldados na guerra que causam terror
Fuzilamos e deixamos em caixas e sacolas
O que era pra ser resultado de um grande amor.

3 comentários:

  1. Massa esse poema heim o/

    infelizmente nós ensinamos as crianças a serem adultas...

    Abrç

    ResponderExcluir
  2. Verdade... São pequen@s adult@s esses seres pequeninos que criamos End...

    ResponderExcluir