terça-feira, 19 de julho de 2011

Chá, Sofá e Madrugada
















No sofá com chá  e a madrugada

eu nunca vejo nada



Olhando os irmãos

sempre na função

um vende outro compra

e ele troca de mão



O chá, já até esfriou

ficou indigesto

eles que estão certo

eu é que não presto



O sofá é a guia

onde me acomodo

vejo uma estrela no ar

o amanhecer vem logo, logo



A lua completa a madrugada

como testemunha ocular

e nunca diz nada



Só me alumia enquanto

estou sentado na calçada


Olhando tudo

e não “vendo” nada


Onde a vida corre pelo esgoto

como a água pra dengue

andando parada .


Sobre chás, sofás e madrugadas.

Um comentário:

  1. Muito bom, imagino as cenas em minha mente.
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir