domingo, 27 de novembro de 2011

Isso é tudo.
















Nos dias felizes
rimas com sorrisos surgiram,

Nas amarguras
lágrimas versadas desceram.

E na vida
Minha mais longa caminhada,
me faz ver que de verdadeiro
não tenho mais nada,

só a poesia desregrada.

É o que me dá a certeza que
a dor tem um fim
sendo assim
toda aflição por maior que seja
não é demais para mim.

Sigo tentando plantar os versos
e colher as prosas
aprendendo que a vida
não é feita de rosas
que boa parte dela é sentida
em espinhos de cascas grossas

Mas eu sigo

Se ela é tudo que eu tenho
eu vou versando e vivendo
e só por isso não desisto
e continuo escrevendo.

3 comentários:

  1. Nossa, muito bom! Li quase que cantando os versos. Pois é isso mesmo. Eu estou feliz - eu escrevo. Estou triste, também escrevo. Escrever diminui a dor, aumenta a felicidade. Escrever tem qualquer coisa de libertador. E a liberdade pelas palavras... é a única liberdade que nasce com a gente. Adorei, já estou seguindo! Um beijo.

    http://biacentrismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. BARRANCO DAS IDEIAS, ACABA DE GANHAR LINK, NO JORNAL O ANACOLUTO CUBATÃO.
    E PARABÉNS, PELO BRILHANTE TRABALHO
    Carlos Alberto Lopes - O Anacoluto Cubatão

    ResponderExcluir
  3. SAUDADES DE TI MANO...

    ABRACIOS, FUI.

    ResponderExcluir