terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Se fossemos livres...















Liberdade, quem tem é o beija-flor,
até extinguirem o que ele beija
e a tem como amor...

Se o amor é verdadeiro
e a verdade que liberta
vivermos em prol disso
seria a caminhada certa

Mas, hoje o amor arde, dói e pesa
o mundo só vive as pressas
a liberdade já não mais liberta

E as mentes se fecham
doem no peito
como flecha
e o que me resta

Bater de frente
fingir que sou gente
que não pensa e só age
capitalista-mente

Somente buscando vantagens
mesmo que essas
venham através dos atos covardes

Ah, liberdade se não fosses cativa
dos seus próprios medos
andaríamos desnudos das vergonhas
e satisfaríamos todos os nossos desejos.