quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

E foi + 1...













Se eu pudesse, falava pra ele

não vai não!
porque vai faltar um mano
na banca.
tava na cara que o caminho
era cemitério ou tranca.

O pior que nem vi ele sair
e no dia seguinte
foi a noticia que ao invés dele
veio bater aqui.

E ai mano
-fala truta
-Liga o Cabelo?
-pode crê!
-Os caras falô que ele ta La na rua
da feira de sábado
com um tiro de 45 no peito
-Que aconteceu mano?
-Sei não ó
disseram que foi vê uma fita e
e cara era mais zica
e arrebento...

E pra quem ficou
só restou a dor.

"se eu pudesse, falava pra ele
não vai não
porque vai faltar um mano
na banca".

sábado, 7 de janeiro de 2012

Quem Tá Junto!


















Aos 45 muita decisão se toma
 aos 45 muito Tyson vai à lona

 quem somava
 do nada desaparece
sem mais nem menos
 da correria se esquece

 mas isso é normal
 pra quem acostumou a andar sozinho
 atravessando sempre,
 várias pedras no caminho,

 umas rolam outras ralam 
tem quem cai e continua,
 mas verdadeiro foi o cachaceiro
 que eu trombei na rua,

 as vezes contando a caminhada
 o coração aperta,
 vejo vida traiçoeira
 se a escolha não for certa,

vejo também
 que esse sempre sofreu
mesmo que ele sobreviva
 como verdadeiro ateu
mas é dos meus

que entender o que to falando
pare o pivete no farol
e pergunte a ele
 porque ficar ali no sol

o dia inteiro
 sem ter tempo pra brincar
e o vejo como guerreiro
 que por nada vai parar

porque tem o lar
 a véia e o bebê
e se ele for brincar
 como que eles vão comer

é isso que eu chamo de parceiro
fazer de tudo para o outro
mesmo do nada sendo herdeiro

sem ter recompensa financeira
correndo sempre junto
 sem tempo para atitudes traiçoeiras...

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Av. Paulista.













Nas calçadas

não havia fogos de artifícios
nem roupas brancas
ou barbas feitas

meia-noite
começou a chuva
embaixo das marquises
cada um se ajeita

talvez tenha dor
outrora aflição
ali os mesmos moradores
nem notavam
que já era réveillon

os ricos vestem branco
os pobres tentam
mas o branco deles
é meio amarelado

os que não pensam
fazem besteira
e são atropelados

quando todos se abraçam
desejam feliz ano novo
novamente tudo se acaba
uns beijam outros murmuram
alguns se drogam
e vão para o outro mundo

eu oro por todos
depois durmo.