sábado, 27 de outubro de 2012

Zé Brasileiro.

















Ele se levanta toma um banho rápido e se ajeita com a melhor roupa, que já não e nova!
 Dois goles no café, chacoalha o frasco de desodorante que está vazio e sai apressado.
Chega ao local do encontro bem adiantado, suando as mãos apesar do tempo frio, ele se ajeita passa a mão no cabelo, que não tem cortado ultimamente, alisa a camisa, arruma a cintura como quem esconde algo sempre mexendo na camisa e no cinto, olha a hora quase que de minuto à minuto e o ponteiro parece bater duas vezes para trás e uma para frente, fazendo a hora não andar.
Olha para a esquina e nada do tal carro branco, avisaram a ele que pontualmente sempre chega  às sete horas da manhã .
 Pessoas passam, olham aquele homem não muito bem vestido, deixando transparecer o nervosismo e muito aflito.
De repente o carro branco vira a esquina e vem em sua direção, ele se ajeita novamente, cintura, mexe no cinto ajeita a camisa mais uma vez, o carro encosta, prontamente sai um homem alto boa postura bem vestido, e o cumprimenta com um bom dia alto e claro, ele responde baixo quase não dando para entender a resposta. aliviado, ele adentra o recinto.
Depois de muitos anos ele tem um primeiro dia de serviço novamente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário